img - Akitas – Castrar ou não?...

Akitas – Castrar ou não?...


Akitas – Castrar ou não?...

Akita é um cão primitivo. Como conceito de primitivo temos: associação às origens ou aos tempos mais primórdios e remotos.

Em sendo o Akita é um cão primitivo, foi equipado com um “kit instintivo” completo a fim de garantir sua sobrevivência. O organismo do cão foi se moldando tanto estrutural quanto tipicamente, desenvolvendo ainda um alcance sensorial de percepção quântica que o faz modular em campos energéticos de forma única e energeticamente falando. O Akita como que “sincroniza” seu campo energético com o da natureza de forma maximizar o seu potencial para o despertamento instintivo.

Seu organismo é preparado, para captar energias que a maioria de nós humanos, sequer imaginamos.

Por isso é impossível falar de Akita, sem falar nessa energia ancestral natural que é um importantíssimo regulador interno.

Em remotos tempos, os Akitas acompanhavam os samurais nas defesas das terras. Conforme já disse em outro texto, disciplina e quietude pautava a vida do samurai. O Samurai precisava se concentrar, precisava sentir a energia sendo armazenada para quando fosse necessário partir para o embate ou lutar suas guerras.

As fêmeas por sua vez, eram criadas neste mesmo conceito, mas eram menos frequentes nos combates, pois eram preservadas para a cria e os cuidados com os filhotes. Os filhotes eram escolhidos, não pela aparência, mas pelo potencial que o temperamento do filhote demonstrava: quietude e intrepidez eram o que o samurai buscava. A quietude fazia do cão um valoroso rastreador de alma, já a intrepidez fazia do cão um guerreiro de coragem inabalável. O conjunto fazia do cão um “guardião”.

Assim foi por muitos e muitos anos.

Para infelicidade da raça, seu grande potencial de combate, despertou em alguns inescrupulosos promotores de rinhas e assim os Akitas foram usados para esta triste finalidade por muito tempo.

Passado o tempo, as rinhas foram sendo proibidas, mas a energia ancestral das rinhas era tão impactante na alma do cão que ficou fixada nos Akitas até os dias de hoje. Por incrível que possa parecer, quanto mais aflorada esta energia ancestral, mais equilibrados se apresentam os Akitas com relação aos humanos. Mas falarei disso em um outro artigo.

Chegamos em 2017 e infelizmente grande parte dos Akitas nos dias de hoje, estão com sua capacidade instintiva “adormecida”, “desvirtuada”, “corrompida” ou “anulada”. Sob essas circunstâncias, o Akita pode se tornar um cão não confiável e perigoso.

Um cão que sofre as interferências tão profundas de uma sociedade como a nossa, obviamente tem seu “relógio interno” comprometido. Basta fazer uma brevíssima reflexão comparativa entre a vida que levavam em tempos remotos e a vida contemporânea:

- tempos remotos: cães com o “pacote completo”, quieto, intrépido, corpo íntegro e instinto ativado. Este cão rastreava a alma do seu dono.

- contemporâneo: apenas para iniciar a vasta lista das interferências: vivem em meio a um turbilhão de sons que não são da natureza; não caçam mais; o osso é artificial; não tem referência de dominância; adestramento por terceiros é amplamente difundido – rastreamento da alma fica desativado ou comprometido e o cão pode se tornar inconstante e perigoso.

Para piorar a raça é vítima da criação vil e indiscriminada e por parte de pessoas inescrupulosas que não se preocupam com a preservação da raça; e a castração é feita de maneira indiscriminada. Fique bem claro que aqui não me refiro aos criadores sérios e idôneos.
Mas o que a castração tem haver com tudo isso? Explico!

Em Akitas a castração precisa ser muitíssimo bem indicada e aplicada. 
Ela tira do cão a atividade hormonal tão necessária para a ativação dos seus instintos. Ele é um cão primitivo, lembra? Cada caso precisa ser analisado com absoluto cuidado e exigente rigorosíssimo critério.

Ora, sabemos que os Akitas com instintos preservados, não aceitam cães de mesmo sexo e porte. Pense comigo: se castrarmos um casal de Akitas que vivem juntos, o regulador hormonal que diz quem é macho e quem é fêmea sendo retirado, correto? Sobrou então apenas o porte fator “porte”, o que pode levar os cães que antes conviviam bem a não se aceitarem mais, pois não se reconhecerão mais como macho e fêmea.

É eu sei, muitas pessoas vão dizer que tem cães castrados e que convivem bem entre si, ou com outros cães e tal e tal. Nesse caso os cães demonstram  que sua energia ancestral não está ativada. Ou até mesmo que o cão sequer entrou na fase adulta. A energia ancestral quando ativada nos Akitas os faz reconhecer instintivamente: o dono, o amigo do dono, o estranho e só ataca o intruso.

Uma observação pertinente: cães com energia ancestral inativa, podem mesmo conviver com cães do mesmo sexo e mesmo porte, se deixar tocar por qualquer pessoa, mas não se pode esperar dele o temperamento equilibrado dos cães ancestrais para reconhecimento instintivo: do dono, do amigo do dono, do estranho e só atacar o intruso.

Se sou contra ou a favor da castração? Depende! Sou a favor da melhor condição de saúde para o cão! Se a castração for absolutamente necessária para que o cão fique bem de saúde, mediante laudo veterinário constatando algum problema sério na saúde do cão, então sou a favor.

Entretanto há que se ter consciência das implicações. Quais? Todas as que advenham do desequilíbrio hormonal que afeta o reconhecimento para o equilíbrio instintivo do Akita. A família vai ter que conviver com a consequência dessa castração e precisa ser avisada dessas consequências antes do procedimento. Não é justo com o proprietário que pode se surpreender com o resultado e nem com o Akita que não teve como escolher.

É eu sei que a maioria dos veterinários indicam a castração para Akitas assim como indicam para outros cães, entretanto a resposta do Akita para a castração é diferente. Tenham em mente que os veterinários não são comportamentalistas Akita. Eu por exemplo, não entro na área deles. Nem vermífugo dou para os cães aqui do Solar dos Ursos, aqui na Morada dos Ursos sem perguntar antes para a Dra Alexandra Quitério veterinária responsável por todos os nossos cães.
Como já disse,  veterinários não são comportamentalistas Akita. Por isso não os culpo. Antes me coloco a disposição para orientá-los sobre a raça. 
Alguns defendem que em determinada fase da vida do cão, a castração não compromete o temperamento. Pode até ser para outras raças, mas para Akitas, compromete sim.

Ledo engano pensar que castrar um Akita o faz mais dócil. Pelo contrário ele pode piorar, e muito. Achar que ele vai parar de marcar território, pode ser outro equívoco entre tantos outros.

Tenho atendido muitos e muitos casos de cães castrados, das mais diversas criações e linhagens de sangue, e é muito triste constatar o que a falta do conhecimento sobre a raça por parte dos proprietários e veterinários, pode causar aos cães.

Os hormônios são absolutamente importantes para o equilíbrio dos machos e fêmeas enquanto saúde física, emocional e temperamental instintiva.

Sim, eu sei que muitos criadores também indicam a castração, e muitos até vendem Akitas já castrados.  Indicam sempre que julgam necessária a intervenção como prevenção a cruzamentos não desejados.

Creio que fazem o seu melhor, seguindo aquilo a que se propuseram. Simplesmente não tem o mesmo chamado pela imensa responsabilidade comportamental e se preservação de temperamento instintivo que eu tenho. A diferença está no “propósito” pelo qual me dedico aos Akitas e suas famílias tutoras há pelo menos 30 anos.

Mas tenho aqui uma boa notícia, como alternativa a castração existe a técnica da Vasectomia para os machos e da Laqueadura para as fêmeas. Embora não sejam muito usuais, essas técnicas são eficazes para os Akitas. Um bom veterinário vai saber orientar corretamente a aplicação de cada uma delas.

E os que já foram castrados? Em primeiro lugar tem que identificar se o seu Akita estava ou não com a parte instintiva ativada. Em caso positivo se faz necessária uma análise minuciosa, para perceber as nuances de desequilíbrio promovido a cada cão como um indivíduo. Uma vez identificadas a boa aplicação de Florais de Bach podem em muito minimizar os efeitos das desordens causadas pela castração, pois são essências de cura em que trazem a energia limpa da natureza aos cães. Como terapeuta tenho vivido a felicidade de acompanhar inúmeros processos de melhora.

Impossível escrever tudo referente ao tema aqui, e já me estendi muito, mas mediante o número expressivo de Akitas castrados e sabendo da gravidade do fato, me vi no dever de orientar no que foi possível, e alertar a todos.

Akitas são regidos pelo instinto e pelo amor: sobrevivente por instinto e guardião por amor.

Fica aqui a minha gratidão a todos os proprietários de Akitas castrados ou não, que me deram a honra e o privilégio de cuidar de tão preciosas vidas... Agradeço de público a confiança!

Contem comigo sempre!

Saudações akiteiras...

Soraya* e Ulisses Guedes
Criadores e Juízes CBKC – FCI
30 anos de Criação e Estudo Aprofundado da Raça Akita
 Morada dos Ursos- Site e Blog Temperamento-Comportamental Akita
www.moradadosursos.com.br   e  www.codigoakita.com.br

* - Terapeuta Comportamental Canina especializada em Akitas
   - Consultora e Pesquisadora Comportamentalista de Cães Akitas desde 1987
   - Juíza Especializada na Raça Akita – CBKC/FCI 1993 a 2013


Obs.: compartilhe, publique, replique mas não altere o texto- publique na íntegra- lembre-se dos créditos.
#moradadosursos #‎codigoakita‬ ‪#‎akita‬ ‪#‎akitainu.‬‬‬